RELACIONADOS



categorias

7 de dezembro de 2015

O Quanto A Girafa Engole

Via weheartit

Você pode ler ouvindo Avril Lavigne - Black Star


São tantas as coisas que vão garganta acima, que eu me pergunto como é possível suportar tanta agonia.  Já engoli tanto sapo, tanta dor, tanto amor, que Deus me livre ser uma girafa! Imagina ficar com algo descendo num processo lento e triturador até o estômago conseguir digerir?  É como se a dor estivesse consumindo as cordas vocais, e a voz se esvai ao tentar sussurrar um “eu te amo” para própria sombra.

Às vezes, eu vejo alguns pedacinhos do meu coração saindo pela boca numa massa de vômito. Ops! O que você ainda faz aqui? Uma agulha, um pedacinho de chocolate, amores e (respectivos) desamores, a alegria e a tristeza, o amor e o ódio, as cartas não respondidas, aquelas não enviadas, as músicas que hoje soam como “já ouvi essa música antes”..; eu deveria esquecer essas coisas? Se sim, por que elas estão na minha frente como um embrião sendo formado no útero da minha mão?

E como esse filho cresceu rápido, meu Deus! As coisas foram lhe dando vida, e ele se tornou nada mais que lembranças escritas num caderno velho com detalhes rosas...
Ah, acho que sou uma girafa!

2 comentários:

  1. Lindo texto Iasmim!! Se quer saber, eu acho que também sou uma girafa.
    Um beijo,
    Anna Murça | Histórias Confessas

    ResponderExcluir