RELACIONADOS



categorias

20 de março de 2017

A verdade que nos falta



A gente brinca muito, né?
Mania boba de sair batendo no peito, e dizendo que tem um coração de pedra, que não sente nada, eu mesma já fui assim (talvez ainda seja um pouquinho), mas, a gente esquece que mesmo com toda aquela pose de inquebrável e um sorriso largo de acabar com todas as possíveis dores, nós temos um coração vivo, pulsante. E não importa o que façam ou digam, ele ainda estará lá, pedindo por mais.

Perdi as contas de todas as vezes que me machuquei, todas as noites que perdi, remexendo de um lado para o outro na cama, pensando nas pessoas, nas injustiças e nas dores que as pessoas são capazes de causar sem sentir nem um pingo de remorso.
Incontáveis foram as vezes em que me magoaram repetidamente, e eu perdoei, embora fosse agonizante ficar deitada pensando em como as pessoas eram capazes de tais coisas, meu coração permanecia descompassado, querendo cuidar de cada uma delas.

Estranho, não é? Eu também achei no inicio, até eu aprender: embora as pessoas tenham atitudes e escolhas ruins, isso não significa que tenham um coração assustado que precisa de ajuda, porque essa é a verdade, ok? Todos nós somos pequenininhos até descobrirmos o tamanho do nosso coração, e com o tempo e as situações que passei, gostos diferentes que provei, abraços que dei ou que me foram negados, eu fui percebendo (bem, aos poucos) que o meu problema é que meu coração é grande demais pra caber no meu corpo e puro demais para acreditar que as pessoas machucam umas as outras porque querem.

Nós nos recusamos a desacreditar da bondade das pessoas, e por isso nos doemos tanto. Nos doemos e nos doamos, porque se você olhar em volta, há o suficiente para fazer com que todos os corações se mostrem, e as pessoas sejam mais verdadeiras umas com as outras.
Sejam de verdade, afinal.

Não adianta vivermos falando mentiras, com o coração morrendo pelas verdades escondidas.
E mesmo sendo dilacerado aos poucos, dia pós dia,  ele continuará creditando e acreditando em você.


Nenhum comentário:

Postar um comentário